24/08/2015

O que é psoríase e quais são os seus sintomas?

Você já ouviu falar na psoríase? Em todos nós, a todo momento, há milhões de células cutâneas (da pele) produzindo novas células para que as velhas possam ser descartadas e substituídas por outras mais elásticas e novinhas em folha. 

Entretanto, quando a velocidade dessa produção é 10 vezes mais rápida do que o normal, é sinal de que a pessoa em questão possui a psoríase, fazendo com que sejam formadas placas espessas, inflamadas e descamativas.

A psoríase é uma doença crônica (ou seja, uma vez que se manifesta em uma pessoa, tem a possibilidade de reaparecer em sua pele até o fim da sua vida), não contagiosa e pode atingir bebês e crianças (15% dos casos), jovens, e adultos (principalmente na faixa etária de 30 a 50 anos), com a mesma probabilidade para mulheres e homens.

Causas

Não se descobriu ainda qual são as causas da psoríase, mas imagina-se que a doença está relacionada com o sistema imune do organismo. No caso, seria uma falha deste. Há também a possibilidade genética, já que cerca de 30% dos casos são hereditários.

Entretanto, sabe-se que alguns fatores podem desencadear a psoríase ou facilitar sua manifestação: baixa temperatura, estresse, tristeza, infecções (principalmente na garganta), machucados na pele, tabagismo, álcool em excesso, uso de alguns medicamentos, histórico familiar, obesidade e HIV/Aids.

Sintomas

Os sintomas da psoríase, a forma como a doença se manifesta, variam de pessoa para pessoa, de idade para idade e de tipo de psoríase. Assim, os sintomas mais comuns são:

- Lesões avermelhadas que coçam, danificam a pele e muitas vezes podem até sangrar;

- Descamação do couro cabeludo;

- Ressecamento dos joelhos e cotovelos;

- Pequenas manchas vermelhas;

- Pele seca;

- Sangramento;

- Unhas amareladas e espessas;

- Inchaços;

- Articulações doloridas e rígidas.

A psoríase não deve ser encarada como um problema para uma vida ou como algo para se ter vergonha, se sentir inferior ou se esconder. Como ela pode influenciar a estética de um corpo, a doença pode afetar o emocional e psicológico, gerando estresse e facilitando ainda mais sua aparição. É importante saber que a doença pode ser tratada no cotidiana, evitando sua manifestação, e é fundamental o acompanhamento de um médico dermatologista e muitas vezes de um psicólogo.

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial