01/07/2013

Organize sua Saúde Financeira

Sabemos que um dos maiores prazeres da vida do homem moderno é comprar, comprar e comprar. Gastar se tornou inclusive válvula de escape para pessoas ansiosas na nossa sociedade. 

Contudo, esse comportamento desordenado e impulsivo pode gerar muitos prejuízos a curto, a médio e a longo prazo. Por isso, é indispensável que se faça bom uso de seu rico dinheirinho para que você não tenha surpresas desagradáveis no curso de sua vida.

Conscientização

A primeira medida para iniciar uma reorganização geral e resolver problemas de descontrole ou má gestão do seu dinheiro, é se conscientizar que gastar por impulso (se você não é herdeiro, ou magnata, ou a pessoa mais rica do mundo) é uma atitude que pode ser extremamente danosa a sua saúde financeira, pessoal e social.


Seja realista com sua saúde financeira

Ser realista consigo mesmo é outro ponto indispensável para quem quer verdadeiramente ter uma saúde financeira sem flutuações desagradáveis. Muitas pessoas gastam mais do que recebem em nome de prazeres que poderiam ser postos em segundo plano. 

É o caso, por exemplo, de uma pessoa que trabalha como auxiliar administrativo em uma empresa que a paga um salário de R$ 1.200,00. A pessoa simplesmente gasta o seu salário, mais o limite que o banco disponibiliza em sua conta e ainda faz contas com amigos e parentes com dinheiro emprestado. Desta forma, seus gastos mensais ultrapassam seu salário e ela se encontra hoje totalmente endividada.

Organização e renegociação das dívidas

O que fazer numa situação dessas? Quando uma pessoa chega nesse estado crítico é hora de parar tudo e se empenhar em uma reorganização financeira pessoal urgente porque o colapso é iminente. Primeiro faça uma lista de tudo o que você deve, quanto você deve e a quem você deve. Organizada a lista, veja quais as possibilidades de renegociação da dívida de uma maneira mais fácil para pagar, que seja mais amena para seu bolso. Para isso, ligue para o seu banco, tente renegociar o saldo devedor, converse com as lojas que você deve, ainda renegocie com seus familiares.


Supérfluos e saúde financeira não combinam

Outra atitude extremamente importante é parar de gastar com supérfluos. Faça uma lista de prioridades em seus gastos, como luz, água, telefone, compras no supermercado, farmácia. Estes são itens indispensáveis à sobrevivência de qualquer pessoa, o restante é supérfluo. 

E por falar em supérfluo, tenha muito cuidado com as compras nos supermercados: esses estabelecimentos comerciais são mestres em induzir o cliente ao consumo. Por exemplo, você lembra qual a primeira coisa que você vê no supermercado que você frequenta? Provavelmente ou é uma promoção ou é um item que provoca um imenso desejo de possuí-lo. 

Então, fiquem mais espertos ao entrar nesses estabelecimentos comerciais. Outra dica importantíssima: se o intuito é economizar no supermercado, nunca vá com fome. Estudos indicam que quando se vai à compra de alimentos com fome a probabilidade de comprar por impulso triplica. Levar as crianças junto também não é bom negocio por motivos que dispensam grandes explicações.

Tenha metas

Contas ajustadas, gastos planejados, agora é colocar uma meta para economizar mensalmente. Sempre economize, sempre mesmo! Porque sempre acontecem imprevistos no decurso da vida. Crie o hábito de planejar e poupar, essas medidas a longo prazo surtem efeitos surpreendentes.

Esses são alguns pontos que você pode seguir em sua vida para fazer uma reorganização financeira pessoal e assim, evitar cair nas armadilhas que o marketing do consumismo nos prepara diariamente. Seja determinado e acredite que é possível viver melhor sendo menos impulsivo, sua saúde financeira agradece.

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial