02/01/2012

Pesquisas mais curiosas de 2011

Uma das expressões que mais chamaram a atenção em 2011 - e que virou até meme nas principais redes sociais - foi o famoso "aponta estudo", pois tudo, ou quase tudo, virou motivo para "culpar" a ciência. Isso prova que até ela não foi poupada das piadinhas em torno de seus respectivos objetos de pesquisa.

O fato é que, sendo sérios ou não, alguns desses estudos vão contra os princípios do que muita gente pensa, além de quebrar tabus. Sabia que mulheres que jogam videogame são mais felizes e praticam mais sexo? Falando nisso, é melhor ter cuidado caso você acessa sites de conteúdo adulto com frequência, já que tal atitude pode causar impotência sexual.

Estranho ou não, separamos algumas das pesquisas mais curiosas realizadas neste ano que passou. E que em 2012 venham mais - ou talvez não!

1. Um a cada seis celulares contém coliformes fecais




Cientistas britânicos da Universidade de Londres (Inglaterra) realizaram uma pesquisa em busca de germes nos celulares. Nas 12 cidades do Reino Unido pesquisadas, foram encontrados coliformes fecais da bactéria E.coli em um a cada seis aparelhos. Além disso, 82% dos celulares tinham algum tipo de contaminação bacteriana.

2. Chiclete deixa as pessoas mais inteligentes




Mascar chiclete pode deixar as pessoas mais inteligentes e reforçar seu desempenho mental, sem quaisquer efeitos colaterais. Pelo menos é o que afirma um estudo realizado por psicólogos da Universidade St. Lawrence (Estados Unidos), que também investigaram as vantagens que o chiclete pode oferecer.

3. Pornografia virtual em excesso pode causar impotência sexual


Um estudo da Universidade de Pádua (Itália) afirma que o excesso de pornografia na internet pode causar disfunção erétil, além de diminuir a libido nos homens. Os pesquisadores chegaram a essa conclusão pelo fato do conteúdo pornográfico na web ser muito vasto. Ao se tornar algo tão corriqueiro, a pornografia diminuiria a concentração da sensação de prazer no cérebro. Dessa forma, imagens de sexo se tornam algo tão normal que não causam o mínimo de excitação.

4. Mulheres que jogam videogame fazem mais sexo


A pesquisa foi realizada com mais de 2 mil jogadoras nos Estados Unidos. Das mulheres que jogam frequentemente, 57% fazem sexo e 38% têm relações sexuais pelo menos uma vez na semana, contra 52% e 34% daquelas que não jogam, respectivamente. Além disso, 55% das mulheres que gastam seu tempo nos videogames são mais felizes do que as não jogam e 50% delas afirmam que jogos as fazem se sentir mais inteligentes. 

5. Seis horas de TV por dia podem encurtar sua vida em até cinco anos


Um estudo desenvolvido pela Universidade de Queensland (Austrális) chegou à conclusão de que, após os 25 anos, cada hora à frente da televisão pode encurtar a vida de uma pessoa que não pratica exercícios em até 2,2 minutos. Ficar sentado em frente à TV sem ter o hábito de praticar qualquer atividade física, pode ser tão prejudicial quanto o fumo e a obesidade.  

6. Wi-Fi pode causar infertilidade masculina


Cientistas argentinos afirmam ter descoberto uma ligação entre o uso do Wi-Fi e problemas relacionados à infertilidade nos homens. A equipe médica aponta que o sinal de rede sem fio pode aumentar o dano no DNA humano e torná-lo mais vulnerável a complicações - em especial na produção de espermatozóides. 

7. Para estudantes, internet é tão importante quanto o ar



Um estudo encabeçado pela Cisco revela que 33% dos jovens estudantes consideram que a internet é um recurso essencial para o dia a dia do ser humano como o ar, água, alimento ou moradia. A nível mundial, 49% dos estudantes e 47% dos profissionais a consideram fundamental e 40% dos entrevistados dizem preferir internet a namorar, sair com os amigos e ouvir música. No Brasil, esse número sobe para 72%.



Por: Caio Carvalho - Olhar Digital

0 comentários:

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial